Menu topo

rafael_mottaO deputado federal Rafael Motta e pré-candidato a prefeito de Natal, do PSB, recebeu na manhã desta segunda-feira [27], em Natal, uma comissão de guias de turismo para discutir melhorias para a categoria. Na reunião, os guias apresentaram ao parlamentar as dificuldades em impedir que pessoas não habilitadas desempenhem o papel desses profissionais.

“Quando o turista visita a nossa cidade e é recebido por um profissional preparado para promover o turismo, a satisfação é muito maior. Por isso, acredito que promovendo a profissionalização da atividade turística, nós promovemos também o fortalecimento do turismo na nossa cidade, no nosso Estado e no nosso País”, afirmou o parlamentar, que é integrante da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados.

A reunião contou com a presença de integrantes do Sindicato dos Guias de Turismo do RN, como Carlinhos, Beto e a vice-presidente Iacy Vasconselos

Estudantes de doutorado pleno no exterior do programa federal de intercâmbio Ciência sem Fronteiras estão enfrentando problemas para renovar a concessão de suas bolsas – o que já tem deixado alguns deles sem dinheiro ou em situação ilegal no país em que estudam.

A Folha conversou com quatro doutorandos que estão nessa situação em universidades do Reino Unido, da Holanda e da Itália. Eles tiveram a bolsa mensal interrompida indefinidamente após parecer negativo da Capes, agência federal que participa do programa Ciência sem Fronteiras pelo MEC [Ministério da Educação].

Cada doutorando tem um contrato de quatro anos com o governo e deve mandar relatórios anuais de desempenho para que a concessão da bolsa seja renovada. Com a renovação, que deveria acontecer em maio, eles ingressariam, em agosto, no 3º ano de doutorado.

A especulação é que, agora, o governo estaria cortando bolsas no exterior para reduzir custos, diante da atual crise econômica.

A Marinha do Brasil alerta aos navegantes da área do litoral do Rio Grande do Norte, sobre a previsão de Aviso de Ressaca com ondas de SE/E de 2,5 a 3,0 metros, na área entre as cidades de Natal [RN] e Jericoacara [CE] a partir deste domingo, 26, até a próxima terça, 28.

senadorasEm meio à polarização da comissão especial do impeachment, duas senadoras ganharam destaque nos embates entre a minoria que defende a presidente afastada Dilma Rousseff e os que trabalham pela sua saída definitiva do comando do país.

Com trajetórias políticas diferentes, Vanessa Grazziotin [PCdoB-AM] e Simone Tebet [PMDB-MS] têm algo em comum: a combatividade demonstrada na forma como atuam.

Chama a atenção também a assiduidade delas às reuniões do grupo, que costumam durar longas horas.

Para Vanessa, o protagonismo feminino pode ser uma oportunidade em um “sistema político que exclui parcelas importantes da sociedade, inclusive as mulheres”.

“Parte importante da política ainda é dominada pela cultura machista. Espero que [o exemplo da comissão] sirva”, afirma Vanessa, 54.

“Talvez essa tenha sido a surpresa. Acho que o reconhecimento está vindo muito mais dos órgãos de imprensa e da sociedade do que da Casa”, diz Simone, 46.

Ainda no início de seu primeiro mandato no Senado, Simone lidera a articulação dos parlamentares que querem concretizar o impeachment de Dilma Rousseff.

Reuniões semanais são realizadas em seu gabinete. Com o destaque, a peemedebista chegou a ser cotada para ser líder do governo na Casa e no Congresso.

Filha do ex-presidente do Senado Ramez Tebet [PMDB-MS], morto em 2006, Simone é advogada e mestre em Direito do Estado. Para ela, seus conhecimentos técnicos podem explicar parte da atenção que recebe na comissão.

“Eu levei para a comissão um pouco do conhecimento jurídico que eu tenho. Procurei não entrar em embate político, não descer o nível dos discursos, mas, de forma contundente, mostrar claramente que houve mais de um crime de responsabilidade.”

Militante do PC do B há 32 anos, Vanessa, mesmo apoiando Dilma, faz críticas à petista em relação à condução da economia e diz que sua atuação na comissão vai além da defesa do mandato.

“Não só eu, mas todo o coletivo do partido que eu represento, temos uma posição firme na defesa da própria democracia e do Estado de Direito. Temos claro para nós que isso é um golpe”, diz.
Embora adversárias no campo político, as duas reconhecem na outra qualidades semelhantes.

“Vanessa tem uma atuação brilhante que faz por ideologia, por convicção, como eu faço por convicção. Não é preciso estar do lado certo ou errado, você só precisa acreditar no que está fazendo”, opina Simone.

“Ela teve um pai que foi senador, mas ela se impôs. A gente percebe pelas atitudes, pelo comportamento, pela atuação dela aqui, que ela está [na comissão] porque ela mesma tem essa convicção, ela se coloca”, diz Vanessa.

TRABALHOS

A comissão especial encerrará a fase de depoimentos nesta quarta [29], quando terá ouvido 40 pessoas indicadas pela defesa de Dilma, quatro apresentadas por senadores e duas testemunhas de acusação.

Já foram mais de 200 horas de trabalho e 23 reuniões, desde 26 de abril.

O processo de impeachment, antes do julgamento, deve acabar em agosto.

*Folha de S Paulo

UEA França, a Alemanha e outros quatro países fundadores da União Europeia [UE] pediram neste sábado que o Reino Unido acelere sua saída do bloco, de modo a reduzir o período de incertezas que prejudica a economia no continente. Os representantes da França e de Luxemburgo pediram que os britânicos não façam jogo ao realizar o processo, que ainda não tem prazo definido. A estimativa é que a separação possa durar até dois anos.

A presidente afastada, Dilma Rousseff, vai usar declarações da senadora Rose de Freitas [PMDB-ES], líder do governo no Congresso, em sua defesa na comissão do impeachment no Senado. A matéria está na página da Folha deste sábado.

Em entrevista à rádio “Itatiaia” neste sábado [25], a senadora afirmou que, em sua opinião, Dilma não foi afastada do cargo por causa das pedaladas fiscais, mas sim em razão da crise política.

“Porque o governo saiu? Na minha tese, não teve esse negócio de pedalada, nada disso. O que teve foi um país paralisado, sem direção e sem base nenhuma para administrar. A população não queria mais e o Congresso também não dava a ela [Dilma] os votos necessários para tocar nenhuma matéria”, disse Rose de Freitas na entrevista.

O advogado de Dilma, José Eduardo Cardozo, afirmou à Folha que vai transcrever as frases e anexar o discurso da senadora na defesa da petista. Na opinião de Cardozo, a fala de Rose de Freitas prova que houve “desvio de poder” na abertura do processo de impeachment.

No Brasil as empresas quebram e o cidadão é quem paga a conta. Um governo não é diferente de outro, quando o assunto trata de grandes incorporações. Agora o presidente Michael Temer, vai repassar aos brasileiros a conta para tentar retirar a empresa OI da crise financeira.

A ideia é mudar a regulamentação de todo o serviço público de telefonia fixa, transformando as concessões em autorizações.

Numa concessão, os bens usados na prestação do serviço [prédios, equipamentos] precisam ser devolvidos à União no final do prazo das concessões. Na autorização, os bens pertencem à operadora, que pode dispor deles como quiser [leia ao lado].

Essa alteração beneficiaria as outras teles, mas principalmente a Oi, que é uma das líderes em telefonia fixa e, na [segunda, 20], entrou com pedido de recuperação judicial para se proteger de falência.

A empresa tem uma dívida de R$ 65,4 bilhões.

O destino cruel de um partido que entra no ostracismo político. Caminhando lado a lado com o poder desde os “primórdios” o PMDB tem se transformado em vilã depois de tentar ser o protagonista de um momento novo no país, através do impeachment da presidente Dilma. Uma farsa que aos poucos tem se constatado na mídia nacional, através da lavajato, onde aliados do presidente interino Michael Temer tem sido assim como, PTistas citados de envolvimento em esquemas de propina.

No Rio Grande do Norte, o ex-deputado Henrique Alves deixa o governo Temer, tendo seu nome citado por delator da lavajato, onde afirma que o potiguar recebeu propina, assim como o senador Garibaldi Alves e seu filho deputado federal Walter Alves, que tiveram seus nomes também envolvidos com recebimento de dinheiro sujo.

Em Macau, PMDB tem realizado uma verdadeira peregrinação, batido em portas para todos os lados, atrás de um porto “seguro” que lhes garantam a recondução de seus edis à Câmara Municipal. Os edis macauenses querem encontrar um partido para que lhe sirvam de esteira para sua eleição e este tem sido o grande problema. Não há mais uma liderança em Macau que convença uma agremiação a se submeter a isso e os bacuraus correm para o fracasso.

O PMDB que há 20 anos esteve no poder, ocupando o alto posto político na cidade de Macau, ver neste momento sua vitalidade se perder nesta eleição. De fato, o declínio do PMDB começou quando os edis deixaram claro que as intenções políticas deles se restringiam apenas a benefício pessoais.

certidao

À medida que se aproxima o período eleitoral, os debates políticos esquentam e deixam os nervos de muita gente à flor da pele. Jájá teremos eleições municipais, para eleger prefeitos, vice-prefeitos e vereadores. E são exatamente essas campanhas a nível municipal que costumam esquentar e até ferver os ânimos de candidatos.

O debate é necessário, fundamental, mas a baixaria é repugnante. Ninguém aguenta mais escândalos, denúncias de corrupção e outras coisas mais. É preciso que as os pretensos candidatos façam realmente uma campanha limpa com base técnica, fundamentadas, e não apenas para ocupar espaço na mídia e tentar enganar o eleitorado que já está farto de tanta safadeza e roubalheira. Então, quem quer aparecer para o povo deve ir com calma para não quebrar o santo de barro.

Semana passada aconteceram deslizes animalescos e mentirosos, em Facebook de cabo eleitoral, coisa já passada a limpo, um descabimento infeliz para quem se diz israelita. É preciso ter equilíbrio para o desespero não sobrepor a razão.

Não podemos mais retroceder, não há mais espaço para as velhas práticas políticas de perseguições, de lobos disfarçados de cordeiros. Chega! Macau já sofreu demais com os maus tratos a seus munícipes.

Sobre a imagem acima, o que chamou a atenção no post do prefeitável Tulio Lemos foram as certidões que o jornalista postou em sua timeline do Facebook, dias após apoiadores da pré-candidatura do médico Zé Antonio Menezes à prefeitura de Macau postar uma certidão do ex-prefeito referente ao TCU – Tribunal de Contas da União.

O filho de Afonso deve certamente está desafiando o médico e ex-prefeito Zé Antonio a postar certidões que garantam sua condição de candidato. Tulio que segundo o Periquito teria um “acordo” apalavrado com o médico, de que, caso Zé conseguisse ser candidato, ele o apoiaria. Agora depois de vários investimentos em seu nome, o filho de Afonso mudou de ideia e criou gosto, enviando recado que não abre nem pro trem.

 

O equilíbrio das finanças públicas com o planejamento tem garantido benefícios aos servidores do município de Guamaré que recebem nesta quinta-feira, 23, o salário de junho, acrescido da primeira parcela do 13º salário, que por lei pode ser pago pelas prefeituras até o dia 30 de novembro.

A valorização do servidor municipal em Guamaré acontece no momento em que o município atravessa uma crise com a frustração de receitas e mesmo assim, a prefeitura não tem recuado nos investimentos planejados para a educação, saúde, infraestrutura e outras áreas importantes.

Fechar