Menu topo

Quando tudo isso passar, quem terá sido o “grande” que resolveu de fato o problema que vivemos no Rio Grande do Norte e em todo o Brasil. Até o momento não vi nenhum parlamentar Potiguar dar uma declaração do porque, estamos vivenciando todo este caos no Estado no sistema carcerário, assim como não vi nenhum dar algum tipo de depoimento, culpando ou defendendo quem quer que seja ou trazendo alguma solução ao problema.

Nenhum parlamentar fala sobre as leis que eles mesmos fazem no Congresso. Talvez nem seja por omissão seja isso desconhecimento mesmo, falta de argumentos e iniciativa para propor mudanças.

Até quando não poderemos mostrar o rosto do menor na TV? O ECA tem que ser respeitado, mas o Estatuto da Criança e do Adolescente deveria ser para crianças e adolescentes inocentes, não monstrinhos ou verdadeiros monstros, que nunca foram a escola, mas no crime já são doutores.

Adolescentes no crime, são usados para matar. Penas brandas, impunidade e leis fracas favorecem a criminalidade. Até quando? Quem é favorecido com isso? Só quando algo acontecer com a classe mais protegida desse país – deputados, senadores, governadores (familiares), juízes e desembargadores, eles vão movimentar a caneta. Enquanto isso, inocentes são mortos todos os dias. Triste realidade.

Aonde andam os batedores de panelas que vão as ruas realizar protestos políticos, esses arruaceiros sem propósitos induzido pela mídia ou grupos políticos. Claro… neste momento de crise que vivemos na segurança nacional, não há nenhum interesse de grupos políticos,  ligados as “facções partidárias”, ou a grande mídia. Entendi!

Esse é o momento de ir as ruas revindicar o direito que temos e que nos garante a Carta Magna. A NOSSA SEGURANÇA. Mas, quem viu nas ruas um adolescente mascarado, gritando ABAIXO A INSEGURANÇA, um maluco desses de direita, pousando ao lado de um padreco pedindo paz, ou um desses esquerdista fissurado em Fidel e Che impulsionados por uma militância socialista inútil e démodé.

A piada não está apenas na classe política, todos estamos incluídos nesse livreto de risadas tupiniquim.

Com qual orgulho empunharei o lábaro, sem a paz no futuro… vivido neste presente, se nenhuma glória tive no passado?

Sobre o Autor:

Estudou em escola pública de Barreiras, Escola Municipal Alferes Cassiano Martins [Macau] e na Escola Estadual winston churchill [Natal], formado em Ciências Econômicas e pós-graduado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, funcionário público.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Fechar