Menu topo

lampiaoNa sessão desta terça-feira (14), se houver, seria bom se o vereador Lampião (PP), se explique sobre seu discurso na sessão do último dia (7 de março), quando o edil em alto e bom tom revela porque aderiu a base do prefeito Tulio Lemos (PSD). Lampião disse que está no governo porque o prefeito teria lhe dado cargos.

Todos sabem que foi assim na eleição da Mesa Diretora da Casa Legislativa, o que agradou a uns e outros não, pois ainda há edil que se queixe da falta de compromisso do prefeito. Já o vereador Lampião parece que teve mais sorte e que fora agraciado do jeitinho combinado, pois disse que a oposição está com “dor de cotovelo” porque não tem cargos e empregos no governo e só por isso estão na oposição.

“Os vereadores da oposição de Macau falam mal do governo porque não tem CARGOS e EMPREGOS, que os vereadores da situação tem”, disse Lampião.

Na sessão de hoje saberemos se há algum edil que se sentiu ofendido com as declarações de pesadas de Lampião e se este irá se defender das acusações do vereador em plenário. O discurso de Lampião é uma grave acusação contra os colegas que teriam se “vendidos” ao governo Tulio Lemos, trocando apoio por cargos e empregos.

Isso é inadmissível! A sociedade já não tolera mais essa cultura do toma lá dá cá, onde um parlamentar, vem a público declarar que o que importa são apenas os interesses pessoais dele próprio e do Executivo, baseado na troca de favores e corrupção, pois se ele se vendeu em troca de cargos e de empregos como afirma, o prefeito comete o mesmo crime, pois por outro lada comprou-o, e não apenas Lampião, mas segundo o próprio outros colegas também, fazem parte do balcão de troca. E o que era pra ser uma inovação se mantém na mesmice com reflexo de uma política falida, que leva à descrença na classe mais desgastada do país.

Mais uma gesto lamentável de políticos macauenses.

Ao votar em Tulio, uma demanda da sociedade macauense esperavam por um método democrático de gestão, de modo que essas negociações teriam em vista não mais as benesses, mas escolhas técnicas e o interesse público. Mas o que se ver, é a continuidade piorada de cenas de um filme antigo e repetitivo.

Sobre o Autor:

Estudou em escola pública de Barreiras, Escola Municipal Alferes Cassiano Martins [Macau] e na Escola Estadual winston churchill [Natal], formado em Ciências Econômicas e pós-graduado em Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, funcionário público.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar estas HTML tags e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Fechar