Menu topo

Arquivos da categoria Meio Ambiente

simposioO Governo do Estado, através da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos [SEMARH]), realizará nos dias 16 e 17 de novembro de 2016, na Escola de Governo, o I Simpósio das Águas do Rio Grande do Norte [SIMAGUA]. O evento tem o propósito de apontar os desafios e benefícios decorrentes da dessalinização das águas do mar e do reuso de água no RN, principalmente no que se refere à mitigação da crise hídrica no Estado.

O Simpósio discutirá a viabilidade técnica, ambiental, econômica e social na implantação de novas tecnologias, fomentando a discussão sobre dessalinização e reuso, com a presença de especialistas na área.

No primeiro dia, O Gerente de Operação da usina de dessalinização de água do mar, de Fernando de Noronha, Geovani Alves, fará uma palestra abordando as questões operacionais e de gestão do sistema que abastece a ilha. O Consultor Nacional do Programa Água Doce [PAD], Fábio Peixoto Cavalcante, vai fazer uma apresentação técnica sobre o processo de dessalinização de água do mar e o Professor da Universidade Estadual do RN [Uern], Flávio José Lima, uma avaliação dos impactos ambientais gerados no ambiente costeiro pela implantação de usinas de dessalinização.

O secretário de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Mairton França, explica que o evento tem um apelo social e ambiental, frente ao cenário hídrico que se instala no Estado e na Região, com as estiagens frequentes. “Estamos numa busca permanente de soluções que garantam à população, de regiões vulneráveis, o acesso à água de qualidade” disse ele.

Reuso de água será o tema abordado no segundo e último dia do evento. Das quatro palestras previstas, três serão apresentadas por professores da Universidade Federal Rural do Semiárido [Ufersa], são elas: “Potencial de uso agrícola do rejeito de dessalinização no Semiárido do RN”, pelo Profº Dr. Nildo da Silva Dias, “Reuso do esgoto doméstico tratado para produção hidroagrícola”, pelo Profº Dr. Miguel Ferreira Neto e “Aplicação do percolado dos aterros sanitários em cultivos agrícolas” que será realizada pela Profª Dra. Daniela da Costa Leite.

“Vamos discutir novas tecnologias, práticas acessíveis existentes, captar todas as ideias, estudar as vantagens e desvantagens dos sistemas, descobrir o que pode ser aplicado na nossa realidade e tentar implantar um projeto”. Conclui Mairton.

O SIMAGUA conta com o apoio da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte [Caern], Instituto de Gestão de Águas do Estado do Rio Grande do Norte [Igarn], Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte ]Idema], Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte [Fiern], Companhia Pernambucana de Saneamento [Compesa].

O público Alvo do evento são Engenheiros, biólogos, técnicos, consultores, pesquisadores, acadêmicos, empresários, representantes dos órgãos de Governo em todas suas esferas, especialistas e estudantes. Para maiores informações sobre o evento está disponível o e-mail: padaguadocern@gmail.com.

Imagine uma quantidade de água subterrânea capaz de abastecer todo o planeta por 250 anos. Essa reserva existe, está localizada na parte brasileira da Amazônia e é praticamente subutilizada.

Até dois anos atrás, o aquífero era conhecido como Alter do Chão. Em 2013, novos estudos feitos por pesquisadores da UFPA [Universidade Federal do Pará] apontaram para uma área maior e deram uma nova definição.

“A gente avançou bastante e passamos a chamar de SAGA, o Sistema Aquífero Grande Amazônia. Fizemos um estudo e vimos que aquilo que era o Alter do Chão é muito maior do que sempre se considerou, e criamos um novo nome para que não ficasse essa confusão”, explicou o professor do Instituto de Geociência da UFPA Francisco Matos.

Segundo a pesquisa, o aquífero possui reservas hídricas estimadas preliminarmente em 162.520 km³ –sendo a maior que se tem conhecimento no planeta. “Isso considerando a reserva até uma profundidade de 500 metros. O aquífero Guarani, que era o maior, tem 39 mil km³ e já era considerado o maior do mundo”, explicou Matos.sistema-arquifero

O aquífero está posicionado nas bacias do Marajó [PA], Amazonas, Solimões [AM] e Acre –todas na região amazônica–, chegando até a bacias subandinas. Para se ter ideia, a reserva de água equivale a mais de 150 quatrilhões de litros. “Daria para abastecer o planeta por pelo menos 250 anos”, estimou Matos.

O aquífero exemplifica a má distribuição do volume hídrico nacional com relação à concentração populacional. Na Amazônia, vive apenas 5% da população do país, mas é a região que concentra mais da metade de toda água doce existente no Brasil.

Por conta disso, a água é subutilizada. Hoje, o aquífero serve apenas para fornecer água para cidades do vale amazônico, com cidades como Manaus e Santarém. “O que poderíamos fazer era aproveitar para termos outro ciclo, além do natural, para produção de alimentos, que ocorreria por meio da irrigação. Isso poderia ampliar a produção de vários tipos de cultivo na Amazônia”, afirmou Matos.

Para o professor, o uso da água do aquífero deve adotar critérios específicos para evitar problemas ambientais. “Esse patrimônio tem de ser visto no ciclo hidrológico completo. As águas do sistema subterrâneo são as que alimentam o rio, que são abastecidos pelas chuvas. Está tudo interligado. É preciso planejamento para poder entender esse esquema para que o uso seja feito de forma equilibrada. Se fizer errado, pode causar um desequilíbrio”, disse.

Mesmo com a água em abundância, Matos tem pouca esperança de ver essa água abastecendo regiões secas, como o semiárido brasileiro. “O problema todo é que essa água não tem como ser transportada para Nordeste ou São Paulo. Para isso seriam necessárias obras faraônicas. Não dá para pensar hoje em transportar isso em distâncias tão grandes”, afirmou.

guamareO Dia Mundial do Meio Ambiente é comemorado todo dia 5 de junho de cada ano. Em Guamaré, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo-Semurb convida a população a participar e visitar o espaço criado para as comemorações que ocorrerão na Orla do Rio Aratuá, entre os dias 07 e 09 próximos.

As atividades comemorativas pela Semana do Meio Ambiente serão desenvolvidas por meio de uma parceria da Prefeitura de Guamaré, através das Secretarias de Meio Ambiente e Urbanismo, Educação, Assistência Social e Turismo com o Governo do Estado, através do IDEMA. O Projeto Meu Município, Meu Ambiente é um dos pontos da programação e contará com dois minicursos e oficinas de reaproveitamento de material reciclável.

Segundo divulgou a Semurb, uma das oficinas será itinerante e direcionada para crianças produzirem brinquedos, a partir de materiais recicláveis. Esta acontecerá nas escolas dos distritos de Ponta de Salina, Lagoa Seca, Assentamentos Santa Paz e Santa Maria III. Também terá ainda, cinema na tenda e um espaço programado para realização de exposições dos artistas locais com fotografias, artes plásticas, projetos ambientais, artesanatos, produção literária e atividades lúdicas com as crianças.

Cultura

A programação cultural da Semana do Meio Ambiente será nas noites de terça e quarta [dias 07 e 08]. Na quinta-feira serão realizadas atividades ao ar livre com duas trilhas ecológicas: uma no Mangue Seco [Dunas] e outra em Guamaré [Rio Miassaba] pela manhã. As inscrições para essas duas trilhas estão sendo realizadas na sede da SEMURB. Finalizando a programação, acontecerá uma ação de mutirão de limpeza no Rio Aratuá.

meio_ambiente_guamareEm Guamaré o meio ambiente é levado a sério pela gestão municipal. Prova disso é que nesta terça-feira, 24, estiveram reunidos na Secretaria de Meio Ambiente e Urbanismo, técnicos do município e do IDEMA, através da Subcoordenadoria de Planejamento e Educação Ambiental, para viabilizar a realização de palestras, oficinas, mini-cursos e outras atividades para os mais diversos públicos na semana de Meio Ambiente, prevista para o início de junho.

A reunião contou ainda com as presenças da Técnica em Meio Ambiente, Keren Rapuque Galvão de representantes das Secretarias de Educação, Assistência Social e de Turismo. A Subcoordenadoria de Planejamento e Educação Ambiental do IDEMA/RN apresentou no encontro de trabalho o Projeto “Meu Município, Meu Ambiente” com a participação das técnicas Simone Câmara, Mércia Lins e Márcia Niná.

Data é lembrada no mundo

O Dia Mundial do Meio Ambiente é comemorado em 5 de junho e essa ação da prefeitura em parceria com o governo do estado, por meio do Idema e com a sociedade civil organizada, deve transcorrer ainda na primeira quinzena do mês, segundo revelou a Secretária Municipal de Meio Ambiente e Urbanismo, Andréa Advíncula presente ao encontro.

meio_ambienteO Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente [IDEMA], através do Parque Estadual Dunas de Natal “Jornalista Luiz Maria Alves” e do Setor de Planejamento em Educação Ambiental – SPEA, realizam nos próximos dias 4,5 e 6 de maio um curso de Educação Ambiental voltado para professores da rede pública de ensino. Estão sendo ofertadas 20 vagas e as inscrições foram iniciadas ontem, 11/04 e podem ser feitas até o dia 20/04.

O curso contribuirá de forma teórica e prática para a compreensão dos princípios da responsabilidade ambiental e visa incentivar os profissionais da educação a aplicar os conhecimentos adquiridos em sala de aula. Durante os três dias de duração serão discutidos os principais problemas ambientais do Brasil e principalmente do Rio Grande do Norte.

O conteúdo pragmático está baseado em quatro pontos principais: educação ambiental, sustentabilidade, oficinas ecológicas e elaboração de projetos.

Os professores interessados devem preencher um formulário disponível no site www.parquedasdunas.rn.gov.br e em seguida encaminhá-lo para o e-mail: cursoeaparquedasdunas@gmail.com. A relação dos 20 educadores inscritos será divulgada no dia 25 de abril. O curso acontecerá no Parque das Dunas das 8h às 11h30 e das 14h às 16h30.

O ex-diretor do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente – Idema, Gutson Johnson, está disposto a revelar todo o esquema desbaratado pelo Ministério Público Estadual na “Operação Candeeiro” que teria desviado mais de R$ 19 milhões do instituto no período anos de 2013 e 2014.

Gutson quer negociar as informações que tem em troca de benefícios no processo por meio de uma delação premiada.

Fábio Hollanda, advogado do réu, disse ainda que os promotores já foram informados do interesse de seu cliente em formalizar o acordo para revelar tudo o que acontecia, mas não revelou o que seu cliente tem para dizer ou se há mais pessoas envolvidas.

O ex-diretor preso desde 2 de setembro de 2015, no comando de Polícia Militar da Capital Potiguar será um dos 15 nomes que serão ouvidos nesta sexta-feira [19].

O ex-diretor financeiro do Idema envolvido no esquema, Clebson José Bezerril já assinou a delação premiada. Clebson trabalhava com Gutson Johnson.

limpeza_acu_rioNa tarde desta quarta-feira [13] o Procurador do Ministério Público Federal, Dr. Victor Albuquerque Queiroga fez questão de visitar a calha do Rio Açu, para conferir de perto a conclusão da limpeza do referido Rio, através da parceria entre o Comitê da Bacia Hidrográfica do Piancó/Piranhas/Açu, Agência Nacional das Águas, Ministério Público Federal, CAERN, IBAMA, ADESE, IGARN e prefeituras de Assu, Ipanguaçu, Alto dos Rodrigues e Pendências. Graças a essa limpeza, mais de 50 mil pessoas da região voltam a ter água em suas torneiras.

O procurador gostou do resultado. “Foi uma limpeza muito importante para a região. Locais aonde antes não se chegava agua, hoje já tem uma lamina d’água até de altura considerável, e isso mostra que a limpeza foi imprescindível para retomar o curso de água do Rio, e fazer com que essa água retorne a chegar as pessoas que fazem uso dela”, destacou.

A CAERN vinha enfrentando muitas dificuldades para captar a água no Rio, antes da realização da limpeza. Quem atesta é o gerente-regional da Companhia, Antônio de Pádua. “Nós estávamos com uma dificuldade muito grande, já que a água não chegava à nossa captação. Agora tudo mudou com a limpeza do Rio. E o resultado da limpeza é que antes tínhamos uma lâmina com 0,40 e hoje ela está com 1,32”.

O superintendente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis no Estado do Rio Grande do Norte – Ibama/RN, Professor Alvamar Costa de Queiroz, foi exonerado do cargo pela Ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira. A decisão foi publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira [17] e já tem nome para assumir.

Avamar cai depois de duras criticas feitas pelo governador Robinson Faria. O novo superintendente será João Maria Cavalcanti, ex-superintendente da Companhia Brasileira de Trens Urbanos – CBTU, que foi exonerado do cargo também com por recomendação do filho do governador, deputado Fábio Faria. João Maria é indicado da senadora Fátima Bezerra.

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, disse que o rompimento da barragem de rejeitos de mineração da Samarco, em Mariana [MG], há duas semanas, é a maior tragédia ambiental da história do Brasil.

“É a maior catástrofe ambiental do país, isso é inegável. Eu vi o acidente. É impressionante o impacto na flora e nas atividades econômicas”, disse a ministra. “No trecho do Rio Doce em Minas, a ictiofauna [espécies de peixe em uma região] na calha do rio principal acabou”.

Segundo Izabella, o governo está trabalhando para reduzir os impactos no Rio Doce e no oceano. “Nós estamos desde sábado trabalhando em parceira com o Espírito Santo e com a prefeitura de Linhares. Abrimos um canal na foz do rio, que está assoreado, para facilitar a dispersão da lama”, informou. “Os peixes de superfície conseguiram migrar para alguns rios tributários, mas estão morrendo, e a fauna ribeirinha também foi impactada”.

A ministra informou que a onda de lama deve se espalhar por uma extensão de 9 quilômetros [km] quando chegar ao mar, após desaguar na costa do Espírito Santo, na cidade de Linhares. “Os dados de dispersão disponíveis indicam que a dispersão máxima para o sul é 6 km e a dispersão máxima para o norte é 3 km, porque as correntes marinhas ali seguem para o sul”, disse a ministra.

O rompimento da barragem de Fundão destruiu o distrito de Bento Rodrigues e deixou mais de 900 pessoas desabrigadas. A onda de lama que se formou chegou ao Rio Doce, provocando a mortandade de peixes e impedindo o abastecimento de água em cidades de Minas Gerais e do Espírito Santo. Sete mortos durante a tragédia foram identificados, cinco corpos aguardam identificação e 11 pessoas permanecem desaparecidas.

guamare_meio_ambiente

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Guamaré foi até o distrito de Diogo Lopes [Macau-RN], participar do Seminário de Valores Ambientais Aplicados á Vulnerabilidade Costeira, e que foi realizado no Ecoposto RDS Estadual [PONTA DO TUBARÃO].

A secretária Municipal de Meio Ambiente Andreia Advíncula juntamente com sua equipe, participou do Seminário que teve como tema VALSA, no intuito de discute e aprender valores ambientais juntamente à vulnerabilidade costeira, o assunto foi amplamente discutido, pois se tratava de uma área altamente protegida por se tratar de uma reserva ambiental, ela tinha sua diversidade a ser debatida no seminário.

Os Palestrantes:

Drª. Luciana Esteves juntamente com o professor Venerando Amaro e Ana Marcelino do IDEMA, falaram muitos sobre o tema e abordaram muitos sobre como deve ser feito esse trabalho de valorização ambiental.

A Drª. Luciana falou que é preciso quantificar se o que se ganha como resultado do capital produzido pelo homem é maior que aqueles obtidos dos serviços prestados pelo capital natural.

Embora seja amplamente reconhecida a importância dos serviços ambientais para o funcionamento da sociedade atual, aplicações plásticas da sua valorização são dificultadas pela falta de métodos que sejam suficientemente simples, mas cientificamente robustos.

O projeto VALSA visa:

1 – Desenvolver pesquisa aplicada que avance o conhecimento em escalas espaciais e temporais que permitam tomadas de decisões eficientes.

2 – Formar parcerias verdadeiras entre gestores, pesquisadores e usuários para encontrar soluções sustentáveis que venham mitigar os impactos e aumentar a resiliência às mudanças ambientais.

3 – A contribuição de todos será de fundamental importância para direcionar os trabalhos do projeto.

A secretária de meio ambiente de Guamaré Andreia falou da importância desse seminário para todos, pois serve de aprendizado para adquirir conhecimentos nas áreas de proteção ambiental e seus valores.

Logo após os palestrantes dividiram a turma em três grupos e pediram a cada um que debatessem sobre os valores de cada área e o que cada área produzia em seu Habitat.

Fechar