Menu topo

Arquivo por Tag: Corrupto

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, vai encaminhar à corte do Supremo Tribunal Federal (STF), a segunda edição da “lista” — esta deve atingir à nata do poder no país..

As informações de O’Globo, é que a Lista de Janot, há cerca de 80 pedidos de abertura de inquérito contra a cúpula do governo Temer, parlamentares da situação e da oposição e até ministro do Tribunal de Contas da União (TCU). A lista de citados é tão grande que o clima é cada vez mais tenso no Palácio do Planalto.

Nesta fase da nova lista, os comentários são de que o Palácio do Jaburu e todo o Planalto tremer, eu disse treme e não Temer que juntamente com aliados cogitam que haja cerca de 400 políticos arrolados pelos 78 delatores da Odebrecht nos níveis federal, estadual e municipal.

E aja cadeia pra tanto bandido.

Mais um golpe do governo tampão Temer, desta vez protagonizado pelo Ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, presidente nacional do PSD. Um saque descarado e descabido, coisa de larápio, uma espécie de Robin Hood da selva de pedra, que rouba do povo para dar aos ricos, inversamente as ações do herói de Sherwood.

Este, certamente após o golpe que destituiu a presidente Dilma, deve sem dúvidas ser o maior dos golpes no bolso do povo brasileiro.

O assalto previsto pelo Segundo o Tribunal de Contas da União, pode chegar a R$ 105 bilhões. Isso faz o prejuízo da Petrobras pelas mãos das empreiteiras e políticos envolvidos na Lava-Jato, de R$ 20 bilhões, parecer fichinha.

Se vira moda, ladrão não será mais preso no Brasil. O segredo para isso é roubar as claras que tudo vai bem, é institucionalizar o roubo, ai vai tudo bem.

Senhores político aprendam como assaltar o patrimônio público sem ser taxado de corrupto ou serem perseguidos pelo Ministério Público. Aprendam com o senhor ministro Gilberto Kassab [PSD], que deverá após a experiência no governo Tampão do Temer, abrir uma consultoria que ensina a saquear cofres legalmente.

O roubo daria para cobrir o rombo de R$ 72,5 bilhões da previdência, pagar quatro anos de Bolsa Família.

O Projeto de Lei da Câmara já foi aprovado sem alarde na Comissão Especial de Desenvolvimento Nacional, semana passada. Já seguiu para Michel Temer sancionar.

Neste momento aonde andam os coxinhas e os mortadelas? Um bando de idiotas, todos induzidos por mídias que defendem seus interesses e não o interesse da nação. Bandos de babacas que vão as ruas com panelas quando não há motivos que justifiquem suas ações, apenas isso. Reforma da previdência, PEC 55 e um monte de outras coisas acontecem quando estes idiotas esperam um cutucão da imprensa, levando-os à ruas por seus interesses de grupos. Idiotas!

Não conheço outro momento político mais delicado no Brasil, onde um governo sem nenhuma legitimação procura destruir o postos de trabalhos e o sonho do trabalhador em alcançar sua aposentadoria. Temer é um “ditadozim”, que manda num congresso surjo, pior que pau de galinheiro, um balaio de corrupto sustentados pelo dinheiro que deveria ser aplica na saúde, previdência, estradas, trabalho etc.

Mas uma ação poderá pôr fim nessa malvadeza. O país pode ter eleições antes do tempo – outubro de 2018, mas que para mim já passada a hora desse tempo. Já é hora de voltarmos as urnas e eleger novo presidente, novos deputados. Mas isto somente não basta, precisamos antes de tudo saber em que votar.

Uma convocação de eleições diretas para presidente, está as nossas portas, basta o Michel Temer ser cassado pela Justiça Eleitoral, que se prepara para julgar uma ação contra o “coringa” julgada no Supremo Tribunal Federal [STF].

Como o ministro relator da causa, Luís Roberto Barroso, já liberou a ação, basta uma decisão da presidente do STF, Carmén Lúcia, para que o Supremo analise a questão. A Corte entrou em recesso nesta semana e retorna ao trabalho em fevereiro.

A ação vem tramitando no Supremo sem alarde e seu potencial de provocar eleições diretas tem sido ignorado. Por enquanto, prevalece em Brasília a percepção de que, caso Temer seja destituído pelo Tribunal Superior Eleitoral [TSE], seria necessário aprovar uma PEC [proposta de emenda constitucional] para viabilizar eleições diretas no país. A base de Temer, porém, tem bloqueado essa discussão no Congresso.

Fechar