Menu topo

Arquivo por Tag: Política

PSB_Rafael_MottaO deputado federal Rafael Motta (PSB) voltou a externar hoje (22), em reunião da bancada do PSB na Câmara dos Deputados, o voto contra a reforma da Previdência. Segundo o parlamentar, a proposta encaminhada pelo Governo Federal retira direitos de todos, sobretudo, das mulheres, dos trabalhadores rurais e daqueles que recebem benefícios de prestação continuada, como as mães de filhos com microcefalia.

“A gente tem que buscar outras alternativas que não seja impactar diretamente na previdência social, pois o trabalhador de baixa renda precisa ter sim uma atenção do Estado. Um remédio para economia não pode trazer tantos efeitos colaterais para a sociedade”, afirmou o parlamentar, reafirmando o posicionamento dele contra a reforma e pedindo que o partido também se posicione contra a matéria: “ Por todas as lutas que o PSB tem tido ao longo de sua história, conclamo todos os deputados a votarem contra a reforma da Previdência”.

No pronunciamento, o deputado Rafael Motta também ressaltou que a reforma prejudica, principalmente, os trabalhadores rurais, as mulheres e aqueles que recebem benefícios de prestação continuada. “Nós vivemos no Nordeste brasileiro que vive uma das piores secas dos últimos 100 anos, como um trabalhador rural vai conseguir comprovar sua renda, contribuir?”, questionou.

O parlamentar criticou ainda outros pontos da reforma, como a idade mínima de 65 anos para a aposentadoria e os 49 anos de contribuição para atingir o teto da previdência. “A gente sabe da necessidade da discussão, mas não pode ser uma discussão açodada. Não tivemos sequer uma audiência pública para ouvir a população. Só temos visto as categorias correndo de gabinete em gabinete para mostrar a sua realidade e a dificuldade que vai viver num futuro próximo”, relatou Rafael Motta.

Eleitores de 11 municípios brasileiros voltaram às urnas neste domingo (12) para eleger novos prefeitos em eleição suplementar. Esse tipo de eleição se faz necessária nos casos em que os candidatos mais votados em outubro de 2016 tiveram seus registros de candidatura cassados pela Justiça Eleitoral.

Confira, a seguir, o resultado das eleições em cada uma dessas cidades localizadas em quatro estados:

Amapá

O novo prefeito eleito no município de Calçoene é Jones Fábio Cavalcante, que tem como vice Ângela Monteiro. Eles concorreram pela coligação “Novos Caminhos” e alcançaram 35,87% dos votos válidos, o que representa 1.958 votos.

Minas Gerais

Alvorada de Minas elegeu Vitor Hugo Ferreira dos Santos e Cristiano Tibúrcio como prefeito e vice-prefeito, respectivamente. Eles concorreram pela coligação “Unidos com a Força do Povo” e receberam 1.706 votos, ou seja, 57,13% do total de votos válidos.

Já o município de Ervália elegeu Eloisio Antonio de Castro e José Mauro Godinho, da coligação “Rumo aos Novos Tempos”. Eles receberam 7.233 votos, o que representa 54,33% do total de votos válidos.

São Bento do Abade terá uma mulher à frente do executivo municipal. Jane Rezende e seu vice, Adélio, foram eleitos com 1.671 votos válidos, 48,96% dos votos. Eles concorreram pela coligação “Renovar para Crescer”.

Rio Grande do Sul

Arvorezinha elegeu Rogério Fachinetto como prefeito e Elisabete Musselin como vice. Eles tiveram 3.913 votos, o que representa 50,84% do total. Concorreram pela coligação “Quero mais para o meu Povo”.

Butiá terá como prefeito e vice Daniel Pereira de Almeida e Luís Carlos Vieira, eleitos com 6.187 votos, representando 51,03% do total. Concorreram pela coligação “Frente Ampla”.

Gravataí elegeu Marco Alba e Áureo Tedesco com 48.211 votos. Eles receberam 40,04% do total de votos válidos e concorrem pela coligação “Gravataí não pode Parar”.

Em Salto do Jacuí, Cláudio Robinson e Jucemar Cecília foram eleitos com 4.149 votos. Esse número representa 62,24% do total de votos. A coligação dos candidatos é “Unidos pelo Salto”.

O município de São Vendelino será representado pelo prefeito Evandro Scheider e pela vice Margarete Maria Gosenheimer. Eleitos com a maioria de 55,81%, eles receberam 1.109 votos.

Por fim, o município de São Vicente do Sul elegeu Paulo Sérgio Flores como prefeito e Vagner Totti Martins como vice. Eles receberam 2.883 votos, sendo 52,06% do total. Concorreram pela coligação “Renovação, trabalho e transparência”.

Mato Grosso

Em Conquista D’Oeste foi eleita Maria Lucia de Oliveira Porto para o cargo de prefeita e Daniel de Menezes como vice-prefeito. Concorrendo pela coligação “A força vem do nosso povo” eles tiveram 52,14% dos votos válidos com 1.110 votos.

Os eleitores que não puderam comparecer às urnas em cada um desses municípios deverão justificar a ausência até o dia 11 de maio, ou seja, 60 dias após a eleição, conforme determina a legislação eleitoral.

Confira aqui o calendário com as próximas eleições suplementares em todo o país.

CM

walter_alvesO site políticos.org.br, responsável pela elaboração anual do “Ranking dos Políticos”, classificou o deputado federal Walter Alves (PMDB-RN) entre os cinquenta deputados federais mais bem avaliados do Brasil. De acordo com o ranking, Walter ocupa a 40ª posição entre os 513 parlamentares de todo o país. Comparando apenas os deputados potiguares, Walter Alves, que exerce seu primeiro mandato na Câmara Federal, está na segunda posição.

Atualmente, Walter é destaque no site com 362 pontos. Para elaborar o ranking, o site apresenta dados de origem oficial pública. A maioria das informações é do próprio Congresso.

O ranking destaca ainda que, na classificação “Qualidade Legislativa”, Walter Alves ocupa a primeira posição entre os deputados federais do Rio Grande do Norte. Neste item, ele possui 147 pontos.

AntonioJacomeO deputado federal Antônio Jácome se articula nos bastidores para disputar uma cadeira no senado em 2018.

Jácome que já foi vereador de Natal, vice-governador do RN, deputado estadual e hoje tem mandato de deputado federal.

Em 2014 elegeu seu filho Jacó deputado estadual e ano passado o sobrinho para câmara municipal de Natal.

A ex-presidente Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira (17) que “o segundo golpe” no Brasil acontecerá caso seu padrinho político e antecessor, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), seja impedido de ser candidato ao Planalto em 2018.

Em defesa das eleições diretas, Dilma afirmou que há duas possibilidades de Lula não concorrer ao pleito do ano que vem: não havendo eleição ou havendo condenação do ex-presidente, que é réu em cinco ações penais –três delas no esteio da Operação Lava Jato.

eunicio_pmdbEleito presidente do Senado nesta quarta-feira (1º) por 61 dos 81 colegas, Eunício Oliveira (PMDB-CE) usou seu discurso de apresentação para enviar recados enfáticos a cada um dos três Poderes.

Ao Congresso, assegurou que atuará como uma espécie de embaixador dos políticos. Ao governo Michel Temer, prometeu parceria na aprovação de reformas e unidade para superar a crise.

A única mensagem dura foi feita de maneira velada e endereçada ao Judiciário. Sem citar o Supremo Tribunal Federal ou a Operação Lava Jato, Eunício prometeu “ser firme, duro e líder quando um Poder parecer se levantar contra outro Poder”.

O PMDB está na presidência da Casa desde 2001.

Eunício citou o combate à corrupção em só uma ocasião de sua fala, ao dizer que atuará para que a Casa “não perca a corrente contemporânea da luta contra a corrupção”.

gerdel_cunhaG1 noticia hoje a operação Cui Bono, que envolvem Gerdel Vieira e Eduardo Cunha em esquema que facilitava empréstimo à empresas com retorno de propina. O relatório da Polícia Federal aponta que o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) atuava “em prévio e harmônico ajuste” com o ex-presidente da Câmara, deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para facilitar a liberação de empréstimos da Caixa Econômica Federal a empresas e, em troca, receber propina.

Geddel, que foi ministro de Michel Temer, foi alvo de operação nesta sexta-feira (13), deflagrada para apurar um esquema de fraudes na liberação de créditos junto à Caixa Econômica entre 2011 e 2013. Ele foi vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa no período investigado pela PF.

A operação, batizada de Cui Bono, se baseia em informações encontradas em um celular em desuso apreendido pela polícia em dezembro de 2015 na residência oficial do presidente da Câmara. Na época, era o deputado cassado Eduardo Cunha que morava no local.

Segundo a PF, o celular apreendido continha “intensa troca de mensagens eletrônicas entre o presidente da Câmara à época e o vice-presidente da Caixa Econômica Federal de Pessoa Jurídica entre 2011 e 2013”.

No despacho que autorizou a operação, o juiz federal Vallisney de Souza Oliveira cita o relatório da PF e a atuação de cada um dos investigados. Além da liberação de créditos da Caixa, as investigações apontam que os dois peemedebistas fornecia informações privilegiadas.

De acordo com o juiz, a Polícia Federal aponta que o “grupo criminoso” era formado, além de Geddel e Cunha, pelo ex-vice-presidente da Caixa e delator da Operação Lava Jato Fábio Ferreira Cleto e pelo doleiro Lúcio Funaro, que está preso e é réu na Lava Jato.

cassio_PA_Senador
Na Paraíba o senador tucano, Cássio Cunha Lima, em entrevista em rádio afirma que o presidente Temer, não conseguirá concluir o mandato tampão, ocasionado pelo golpe. O senador paraibano somente viu o estrago da entrevista no dia seguinte que a bomba que soltou no Palácio do Planalto.

O PT e movimentos sociais ligados ao partido estavam inconformados com o fato de o senador Jorge Viana [PT-AC] ter se movimentado intensamente para evitar que Renan Calheiros [PMDB-AL] fosse afastado da presidência do Senado.

PTistas torciam para Viana assumir como forma de empurrar o governo de Michel Temer definitivamente para a crise, com dificuldade de aprovar qualquer medida do pacote econômico que apresentou.

Viana diz que trabalhou até contra ele mesmo em nome da estabilidade do país. “Temos que separar as coisas. Eu estava mediando conflitos e não poderia ser agente da crise”, disse o senador à coluna.

PT um partido perto do fim.

camara-desfigura-pacote-contra-a-corrupcaoNa calada da noite, deputados incluíram medidas controversas e retiraram propostas consideradas essenciais do projeto

Em uma votação que varou a madrugada desta quarta-feira, o plenário da Câmara aprovou uma série de mudanças no pacote de medidas contra corrupção proposto pelo Ministério Público Federal. Para o relator do projeto, deputado Onyx Lorenzoni [DEM-RS], o pacote foi completamente desconfigurado.

Apesar de terem desistido de incluir no pacote a anistia à prática do caixa dois, os deputados incluíram medidas controvérsias e retiraram do textos propostas consideradas essenciais do projeto. O projeto seguirá agora para a apreciação do Senado.

“O objetivo inicial do pacote era combater a impunidade, mas isso não vai acontecer porque as principais ferramentas foram afastadas. O combate à corrupção vai ficar fragilizado e, com um agravante, que foi a essa intimidação dos investigadores”, disse o relator.

Fechar